terça-feira, 13 de outubro de 2009

“Renúncia”



Mais uma cruz ao lado do caminho.
De mais uma ilusão que sepultei.
Adeus fonte de sonhos, adeus ninho
De esperança, que outrora acalentei...


Adeus! Agora hei de seguir sozinho,
Como seguia quando te encontrei!...
Não tentarei achar outro carinho,
Outro afeto, outro amor, não tentarei.


Basta de fantasia e de quimera,
Já se me foi o sol da primavera
E o de outono alonga a sombra do meu vulto


Basta de tanto sonho e desencanto!
Que a vida me tem sido um campo santo,
De ilusões que acalento e que SEPULTO....



Autor: José Xavier Arruda

Um comentário:

cowboy disse...

adorei essa poesia,acho
que ela faz parte da vida
de todas as pessoas.
continue sendo sempre
essa pessoa maravilhosa que
voçe é,pois o mundo
precisa de pessoas assim como
voçê,

um grande beijo